Fantasias ou desejos?

 

Resultado de imagem para sexo e imaginação fantasia amor é prosa

  • Preste atenção: nem toda fantasia será um desejo, mas todo desejo já foi uma fantasia!


    As fantasias sexuais são inerentes ao ser humano e são reflexos de desejos não satisfeitos por imposições e repressões de sua realidade objetiva. Não apresentam variações em função da idade, estando presentes desde a infância até a velhice, mudando, apenas, o seu conteúdo. Fantasias, podem ou não serem realizadas, a dependerem do sistema de valores adotado pelo indivíduo, bem como pelo seu código moral. Não passam de pensamentos e não demonstram necessariamente um desejo, como acredita a maioria, reprimindo – as por conseguinte.

    Já o desejo, trata-se de algo mais concreto. Algo que impulsiona a ação. Demonstra vontade de realização! Assim, a fantasia pode alimentar determinado desejo OU NÃO. Quando sim, ela nos prepara p/a ação. Quando não, torna-se, apenas, conteúdo imaginativo a permear nossos pensamentos impulsionando a excitação. Por uma questão meramente cultural, homens desejam mais e mulheres fantasiam mais (as que conseguem vencer o pudor introjetado pela educação).

    Casais que possuem cumplicidade erótica podem facilmente compartilharem suas fantasias e até mesmo alguns dos seus desejos sem que isto se torne um problema p/eles. Ao contrário, essa maturidade promove aproximação e riqueza sexual em seu dia-a-dia. No entanto, p/que um casal consiga atingir tal maturidade é imprescindível uma relação baseada no diálogo e na confiança do que POSSUEM ENTRE SI. Esse tipo de comportamento ainda é pouco encontrado entre os casais devido os diversos preconceitos e interpretações erradas acerca deste universo tão vasto que envolve nossas fantasias e desejos. Tanto que o habitual p/a maioria ainda é esconderem este conteúdo uns dos outros, já que o compreendem a partir do conceito de fidelidade. P/as mulheres, este processo vai ainda mais longe. Elas o escondem de si mesmas, não se permitindo fantasiar, o que pode tornar sua vida sexual um tanto monótona, levando – as a perderem o interesse pelo sexo ao longo do tempo. P/que os casais alcancem esta maturidade é preciso, pois, vencerem os próprios tabus e pudores que em nada os auxiliam do ponto de vista da sua vida sexual.

  • Com isto não se quer dizer que os casais, digamos, mais convencionais e/ou reservados não possam ter uma vida sexual satisfatória. Podem sim… principalmente porque o estar satisfeito está muito ligado ao que se deseja e, essencialmente, ao que se possui. Quanto ao fantasiar, não há grandes problemas em manter este conteúdo em sua individualidade sem que isso atrapalhe a sua realidade, desde que o mesmo permaneça no campo da fantasia e que sua satisfação não se torne dependente dele.

    No mais, fantasiar não te torna alguém sem caráter e nem mais, nem menos pecador do que aquele que não se permite fazê-lo.
    MC
    Atendimento online em: http://www.psicolink.com.br/mariacesar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s