Como agir ao descobrir que sua filha não é mais virgem?

Resultado de imagem para nao sou mais virgem

  • Primeira coisa é entender que o que você está sentindo pela sua filha nesse momento (seja raiva, decepção ou até repulsa – como pode acontecer), é na verdade a representação do sentimento de perda. Sim, perda. Sua menininha agora é mulher. Ao menos, teoricamente ou do ponto de vista sexual. Este não deixa de ser um processo de luto e precisa ser superado.

    Segundo, é esquecer o que você está sentindo e assumir a sua responsabilidade de mae/pai. E qual seria? ORIENTÁ-LA. Ficar chorando pelos cantos, passando sermões ou tentar trancafiá-la em casa, não mudará a sua condição: ela continuará não sendo mais virgem! O que ela precisa é entender que, já que escolheu assim, a partir de agora ela é uma mulher e deve se comportar como tal. Ou seja, saber que toda e qualquer consequência que esteja relacionada a este fato, serão assumidas por ELA e não por você. Seja firme, mas use um tom acolhedor. Adolescentes aprendem os ensinamentos se forem transmitidos com afeto. Se por acaso foi ela mesma quem te contou, é porque ela confia em você. Não desperdice isso! Pergunte como ela se sentiu, se foi bom e se o casal usou preservativo (é uma boa hora para falar a respeito da necessidade de proteção). Claro que sei que não é tão fácil, nem tão simples assim. MAS, QUEM DISSE QUE EDUCAR O SEJA? E, caso você tenha descoberto sozinha, entenda que pra ela não deve ser fácil falar sobre certas experiências com você. Seja por medo ou vergonha. Mesmo assim, não critique. ORIENTE!

    Terceiro, VOCÊ DEVE SER RACIONAL. Se sua filha não é mais virgem, deve ir ao ginecologista e tudo mais que necessite para ter uma vida sexual saudável. Ou você acha que ela vai ficar apenas com essa primeira e experiência? Quanto mais abertura ela tiver pra falar com você, mais proteção e orientação poderá receber. Inclusive, se você agir assim, ela estará bem mais disponível para ouvir e seguir seus conselhos.
    Faça-a entender que ela precisa se respeitar e exigir respeito do parceiro com o qual irá se relacionar, seja sexualmente ou afetivamente. Cobranças do tipo “eu confiei em você” e “achei que você fosse responsável” só geram culpa na adolescente, mas não a fará te ouvir por conta disso. Ao contrário, vai distanciá-la ainda mais de você.

    E, pra terminar lembre-se: VOCÊ NÃO É UMA AMIGA. Aja como pai/mãe, mas seja compreensiva. Você tem maturidade. Sua filha, NÃO.
    Boa reflexão a todos
    MC

Atendimento online em: http://www.psicolink.com.br/mariacesar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s