Com relação à ansiedade, vejamos:

Resultado de imagem para ansiedade e uma cadeira

  • 1. Nem toda ansiedade é patológica – a ansiedade é uma sensação decorrente da excessiva excitação do sistema nervoso central quando estamos diante de uma situação entendida como perigo. É aquela sensação que nos acomete sempre que sentimos que algo pode dar errado. Dessa forma, podemos dizer que a ansiedade faz parte das nossas ferramentas naturais de auto-defesa. Todos nós, em algum momento da vida, sentimos essa sensação. É comum, principalmente, diante de situações novas ou quando estamos sob julgamento, como em um concurso. Esta ansiedade é completamente natural de se sentir. E podemos até dizer que ela seja boa, pois nos impulsiona à ação. Todos nós podemos vivenciar pequenos e rápidos momentos de ansiedade ao longo de nossas vidas. O natural é que tenhamos meios de contornamos estas situações sem grandes dificuldades ou sofrimento. Quando passamos a não conseguir fazer esse controle, é que pode instalar-se um quadro ansioso, sendo melhor buscarmos ajuda.

    2. Sintomas fisicos – taquicardia, sudorese, tremores ou extremidades frias, dificuldade respiratória, dormência pelo corpo, tontura ou sensação de desmaio, dores na barriga ou no peito e enjôos ou vômitos. Uma crise ansiosa é algo muito ruim de se sentir, tanto que grande parte das pessoas pensam que estão à beira da morte.

    3. Sintomas emocionais – angústia, preocupações excessivas causando pensamentos repetitivos, dificuldade de concentração, medo, etc. E acaba sendo uma bola de neve porque os sintomas físicos potencializam os sintomas emocionais e vice-versa. E a pessoa fica presa nesse processo.

    4. Causas – aprendizados disfuncionais, pensamentos obsessivos, relacionamentos conturbados, insatisfação com o trabalho, predisposição genética, etc.

    5. Tratamento – nem todo quadro ansioso necessita de medicação. Os casos mais intensos podem precisar para restabelecer o funcionamento normal do cérebro, que passa a trabalhar de maneira acelerada, provocando mais sintomas. Importante mesmo é você identificar o que está te fazendo produzir os seus sintomas e aprender a lidar com eles, tendo em vista que a medicação age somente nos sintomas e não nas causas da ansiedade. Ou seja, alivia teus sintomas, mas não te torna capaz de enfrentar as situações causadoras do problema.
    Portanto, entenda: você não precisa aprender a conviver com sintomas de ansiedade. Considerar essa forma de viver como algo natural, é perder grande parte da alegria desse viver. FAÇA TERAPIA PARA MUDAR!

    Boa reflexão a todos
    MC

Atendimento online em: http://www.psicolink.com.br/mariacesar

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s